8 passos para organizar sua vida financeira
0

8 passos para organizar sua vida financeira


Não precisamos nem perguntar para descobrir quem gostaria de ter uma vida financeira organizada, certo? Um controle eficiente dos valores que temos a receber e a pagar nos dá visibilidade para identificar como estamos gastando nosso dinheiro e o que estamos fazendo para alcançar nossos objetivos.

Depois de muito ler as dicas de como organizar a vida financeira em diversos blogs sobre finanças, resolvi vir aqui e compartilhar com vocês 7 atitudes que eu tive e que foram essenciais na organização das minhas finanças!


Este post é muito importante para as pessoas que ainda não tem nenhum controle financeiro e querem saber por onde começar. Vamos considerar um planejamento anual ok?

 

1 - Levantar todos os dados sobre suas receitas e despesas

Quanto você ganha por mês? Sua renda é fixa? É variável?

Se sua renda é fixa, é fácil calcular quanto você vai receber durante o ano. Caso sua renda seja variável (é o caso de vendedores que além do salário recebem comissão sobre vendas) aconselho que você faça uma média dos seus últimos salários, ok? Com estes valores em mão, você vai projetar todos os seus recebimentos durante um ano.

Agora é a vez das despesas. Quanto você gasta por mês? Neste cálculo você deve considerar todas as despesas mensais: aluguel, prestação de financiamentos, conta de água, luz, gás, compras de supermercado para o mês, escola das crianças, transporte, lazer... É essencial que você saiba exatamente no que você gasta seu dinheiro.

Caso você ainda não tenha um controle sobre estes gastos, sugiro que você fique atento e anote todas essas informações durante um mês, para assim estar preparado para alimentar sua planilha de controle financeiro (dica nº2!).

 

2 – Alimentar sua planilha de controle financeiro

Estou disponibilizando aqui uma planilha simples de controle financeiro que ajudará você neste passo.

 

Vou explicar algumas informações que são essenciais para o preenchimento da planilha.


Saldo Inicial: É o saldo inicial da sua conta no primeiro dia do mês. Você pode tirar um extrato bancário ou utilizar o Internet Banking para verificar este número. O saldo inicial sempre será o saldo final do mês anterior.

Entradas: É a soma de todas as entradas durante o mês: salários, comissões, bonificações, 13º salário, pensões, e qualquer outro valor recebido.

Saídas: É a soma de todas as saídas durante o mês: despesas mensais.

Saldo Final: É a soma do saldo inicial + entradas – saídas.

 

Agora que você entende como a sua planilha funciona basta alimenta-la com os dados que você levantou!

 

3 - Negociar dívidas

Caso você esteja inadimplente, agora é a hora de negociar sua dívida!

Agora que você já tem conhecimento de todas as suas dívidas e tem uma planilha de controle que apresenta quanto você tem disponível no mês, é possível entrar em contato com essas empresas e tentar uma negociação.

É importante lembrar que ao negociar uma dívida é imprescindível ser o mais sincero possível e informar para a empresa o quanto você tem disponível para quitar a dívida. Afinal, de nada adiantar fechar um acordo que você não conseguirá cumprir, certo?

 

4 - Rever seus gastos

Agora que você tem uma planilha com todos os seus gastos minuciosamente descritos você consegue perceber para onde vai o seu dinheiro. É comum percebemos que estamos comprando alguns itens sem necessidades.

 

A mensalidade da TV a cabo não pode ser negociada por um valor menor?

O plano do seu celular vale o valor que você paga?

Você está almoçando muitas vezes em restaurantes?

 

Você pode usar esse raciocínio para todas as contas e com certeza vai conseguir economizar!

 

5 – Definir objetivos financeiros

Sabendo que suas dividas estão negociadas e que você já tem um controle delas e de seus ganhos, chega um passo muito importante!


Agora é hora de pensar nos seus objetivos de curto e longo prazo. Se você definir que o seu objetivo de curto prazo é fazer uma viagem nas férias no valor de R$ 4.000,00, quanto você deverá guardar por mês?

E se o seu objetivo de longo prazo é comprar um carro à vista, em no máximo 3 anos, no valor de R$ 40.000,00, quanto você deverá guardar por mês?

 

Este é um passo muito importante e que merece atenção. Muitas vezes ao realizar nosso controle financeiro, podemos nos surpreender por visualizar a possibilidade de alcançar nossos objetivos em um prazo menor ou maior do que o esperado.

 

6 - Estipule uma reserva para emergências

Imprevistos acontecem o tempo todo e podem impactar diretamente o orçamento do mês...

Não existe uma formula certa para calcular o valor que você deve ter para estes imprevistos, mas o aconselhável é que você analise sua fonte de renda e pense na possibilidade de ela faltar algum dia.

Pense: Por quantos meses você conseguiria pagar suas despesas sem o seu salário?

Algumas pessoas acreditam que um bom valor de reserva seria do seu salário multiplicado por 12, ou seja, um ano com as despesas em dia mesmo em caso de desemprego. Mas este valor apenas você poderá decidir!

 

7 – Ter disciplina

 

Esse é um dos passos mais difíceis na hora de organizar nossa vida financeira. É preciso ter disciplina para honrar com os compromissos firmados e não direcionar o dinheiro para o lugar errado. Várias vezes quando as contas estão chegando no lugar, as pessoas se empolgam em ver um saldo maior na conta e acabam contraindo novas dívidas...

 

Para que isso não aconteça vamos para o último passo, investir!

 

8 - Invista!

 

Após todos esses passos cumpridos... chegou a hora de aprender a investir!

Agora que você já tem um controle do seu dinheiro, quitou suas dívidas, tem sua reserva financeira e sabe que tem que gastar menos do que ganha, é hora de fazer o jogo virar! Você suou muito para ganhar esse dinheiro e agora ele vai trabalhar para você!

Procure por investimentos de acordo com a classificação do seu perfil: conservador, moderado ou agressivo. Leia e pesquise muito antes de investir. Conte com a ajuda de pessoas de confianças e que entendam de assunto, pode ser o gerente da sua conta ou um especialista.

 O ideal é que você estude o suficiente para se sentir seguro para cuidar de seus investimentos!

 

Comece a seguir estes passos e veja como eles podem fazer diferença na sua vida!

Gostou do post? Ficou com alguma dúvida?

Utilize os comentários para me contar o que achou e até mais! =)

 

 

Sobre a autora

Paloma Barbosa

Mineira, 24 anos, mãe, formada em Administração. Cursando MBA em Auditoria, controladoria e finanças.

Artigos relacionados

Deixe seu comentário

Obrigada por comentar, seu comentário será postado logo!
Ocorreu um erro, por favor me mande um email para eu saber o que está acontecendo :)