Seu banco te ofereceu investimentos? O que analisar antes de escolher?

Seu banco te ofereceu investimentos? O que analisar antes de escolher?

Saiba quais fatores considerar para escolher os melhores investimentos para você

Os brasileiros estão investindo mais nos últimos anos. E a tomada de iniciativas parte muito da oferta dos bancos em investimentos de renda fixa e variável. Para investidores iniciantes, é importante entender quais são os fatores a considerar antes de começar a investir. 

Quem está conhecendo o mundo dos investimentos, precisa entender como os investimentos podem lhe ajudar a crescer. É importante saber se um plano de previdência privada vale a pena para você ou se você terá mais vantagem investindo no Tesouro Direto ou no mercado de ações. 

Aqui, vamos listar os principais fatores para avaliar a proposta do seu banco. Fazer uma escolha consciente de investimentos é importante para obter resultados. Para isso é fundamental se conhecer como investidor e relativizar os seus desejos pessoais com a sua capacidade de investir. 

Confira abaixo os principais fatores a considerar antes de escolher um investimento:

Descubra o seu perfil de investidor

O primeiro passo antes de investir é conhecer o seu perfil de investidor. Para isso, você precisa conhecer a sua situação financeira, quais são os seus objetivos e o que você está disposto a conseguir com os seus investimentos. 

Existem três tipos de investidores, são eles:

  • Conservador – o investidor conservado é aquele que prefere investimentos seguros, de baixo risco, dando prioridade à manutenção do patrimônio com alguma rentabilidade. 
  • Moderado – o investidor moderado é aquele que tenta se equilibrar entre riscos e rentabilidade. Para isso, ele monta uma carteira de investimentos que contam com ativos de maior potencial de retorno e ativos com risco bem baixo. 
  • Agressivo – o investidor agressivo é aquele que visa a maior rentabilidade no menor espaço de tempo possível. Para isso, esse investidor aposta em ativos de maior risco. 
  • Entender o que é liquidez e rentabilidade 

Entender o que é liquidez e rentabilidade 

Em primeiro lugar, é importante entender o que é rentabilidade e liquidez. Basicamente, liquidez é a facilidade de converter o ativo em dinheiro. Se o investimento tem liquidez diária, por exemplo, é possível resgatá-lo a qualquer momento. Agora se a liquidez for no vencimento do ativo, o seu investimento está preso e você só poderá resgatá-lo no dia do vencimento da aplicação. 

E a rentabilidade é capacidade da aplicação em fazer o seu dinheiro render. E para entender a rentabilidade de um investimento, você precisa entender sobre taxas de juros, histórico de retorno e modalidade de investimento. A rentabilidade é bastante variável, principalmente, em ativos de renda variável. 

Conhecer os riscos 

Todo investimento possui riscos, mesmo que mínimos. Por isso, é importante conhecer os riscos que os ativos podem trazer para entender a melhor forma para investir. Abaixo vamos listar os três principais riscos que você corre ao investir:

  • Liquidez – nem sempre você poderá converter o seu investimento em dinheiro automaticamente. Por isso, é importante considerar a liquidez do ativo antes de começar a investir. 

Se você quer montar uma Reserva de Emergência, por exemplo, você precisa de um investimento com liquidez diária, que pode ser resgatado a qualquer momento. 

  • Mercado – Decisões externas de governos, empresas, notícias podem afetar investimentos. Esse é o chamado risco de mercado. Uma empresa que está sob um escândalo financeiro, por exemplo, tende a ficar desvalorizada no mercado de ações. 
  • Crédito – Esse é um risco presente nos investimentos de renda fixa. Nestes casos, o investidor está emprestando dinheiro a uma instituição e corre o risco de calote, caso a instituição vá à falência. 

Avalie os custos

Conhecer os custos por trás dos investimentos é fundamental. Dependendo das taxas e tributação envolvida, o ativo pode perder rentabilidade e não ser tão vantajoso. O primeiro ponto é considerar a incidência de imposto de renda (IR), que existe na grande maioria dos investimentos disponíveis no mercado. 

Fora o IR, também é preciso notar a presença de taxas como taxa de administração, taxa de custódia, taxa de carregamento e outras. Estas taxas são cobranças realizadas pelas instituições financeiras detentoras dos ativos e servem para custear a operação dos investimentos. 

Defina prioridades e trace um planejamento 

Por fim, é importante definir as suas prioridades e traçar um plano de investimentos inteligente para atingir os seus objetivos. Existem investimentos comuns na vida de todos, como a reserva de emergência e a previdência complementar, por exemplo, e nesse aspecto existem também ativos recomendados para cada tipo de objetivo. 

Dessa maneira, você deve definir os seus objetivos, listando suas prioridades para procurar os melhores ativos no mercado. Com esse planejamento traçado, você pode estudar e observar quais são os investimentos mais vantajosos que o seu banco lhe oferece. E claro, você não precisa ficar limitado ao seu banco, busque outras opções no mercado. 

Com essas dicas, você consegue aproveitar as melhores oportunidades de investimentos e fugir das “furadas” que o seu gerente oferece. Todo investidor iniciante deve conhecer estes fatores para ter a capacidade de tomar boas decisões e montar uma carteira de investimentos lucrativa. 

Diego Augusto

Diego Augusto

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Os comentários estão fechados.

Outros artigos

Otimizado por Lucas Ferraz.