10 dicas essenciais para sair das dívidas

10 dicas essenciais para sair das dívidas

Não existe bola de neve maior do que o número de dívidas que um indivíduo pode acumular. Afinal, o que começa como um simples atraso em um pagamento, logo se junta a outro atraso e assim sucessivamente, até chegar em uma situação impossível de se liquidar débitos sem que outros sejam feitos.

Essa situação de déficit começa, muitas vezes, pela falta de organização, que poderia provir de educação financeira, que na maioria das vezes é inexistente. Uma das consequências de se entrar no vermelho é que o processo de recuperação vai ficando cada vez mais difícil.

As dívidas vão se acumulando, novas vão surgindo, isso sem contar que o valor das antigas sobem a cada mês, com os juros e encargos financeiros que vão sendo aplicados diante o seu estado de inadimplência.

É como se a pessoa entrasse em uma espiral de dívidas, no qual a escapatória vai ficando cada vez mais distante e impossível. Entretanto, não é preciso se desesperar, pois esse texto vai te dizer justamente sobre como se organizar.

Servindo como um anel elástico para eixo, que é uma peça responsável para que as outras peças não saiam do eixo e continuem a realizar o seu trabalho. Justamente o que busca uma pessoa endividada. Pois bem, confira as dicas:

Coloque no papel todas os seus gastos

Antes de começar o processo de sair do buraco, é preciso compreender a extensão dele. Anote todos os seus gastos mensais e o total de dívidas em um papel, também pode ser no celular, no computador, ou qualquer aparelho de sua preferência.

Com esses dados em mãos, é possível medir o nível de esforço e comprometimento que você terá de ter com suas dívidas. Tendo uma noção melhor do seu saldo negativo, é chegado o momento de olhar para o lado positivo da vida, o que nesse caso é o saldo positivo das contas.

E nisso entra a sua conta corrente, poupança e até aquele dinheiro guardado embaixo do colchão. Após ter notado a extensão completa e real desses valores é possível planejar qual será o seu próximo passo. 

Organizando a sua relação com os gastos, qual o nível de urgência de cada um a ser pago, quais podem ser deixados para um momento melhor, tendo em vista sua baixa taxa de juros.

É o momento de agir como um sensor de nível, analisando o peso de cada um dos seus débitos. Ao invés da medida exata para um delicioso café, você pode chegar à satisfatória luz no fim do túnel dos endividados.

Discuta o valor de cada dívida

É chegada a hora de despertar o negociador nato que existe dentro de você. No lugar de se esconder dos cobradores, arrume-se e vá visitá-los. Ao ser recebido pelo gerente do seu banco você poderá discutir com ele uma forma possível de quitar os seus débitos.

Por mais que muitas instituições lucrem com o alto valor de juros, elas não terão benefício nenhum caso o seu devedor não tenha a menor condição de pagar aquilo que lhe é devido. 

Por isso, as organizações financeiras costumam ser receptivas a esse tipo de negociação, no que representará um acordo positivo para ambos os envolvidos.

Seu banco não quer negociar a dívida? Fale com outros

Caso o credor financeiro do seu banco não tenha se mostrado aberto a uma negociação das suas dívidas, é urgente a procura por instituições financeiras que melhor o recebam para transações e investimentos futuros.

Mas antes de falar sobre negócios vindouros, é preciso lidar com suas dívidas atuais, e falar com outras instituições ainda é a solução.

Existem muitas organizações que atuam com a portabilidade de crédito, ou seja, é possível retirar suas dívidas de um banco, aquele que te recebeu mal, com seus encargos exorbitantes, e levá-los para uma instituição que trabalhe com taxas menores.

Inclusive, é possível, até mesmo, parcelar esse valor, de uma maneira que não machuque o bolso e o seu frágil orçamento.

É como trocar de operadora de telefone, preferindo os serviços de outras com melhores benefícios, mas sem abandonar o seu antigo número. Até porque abandonar as dívidas não é uma opção possível, então o melhor a se fazer é buscar uma maneira de reduzi-las.

Comecei a quitar minhas dívidas. Posso fazer outras?

Após tanto esforço para sair da posição de endividados, o que você menos precisa é encontrar maneiras de voltar à estaca zero. Nesse caso retornar para uma posição abaixo dos zeros, tendo de lidar novamente com os dígitos negativos de sua conta.

Claro que existem investimentos que podem parecer dívidas, mas sua função é exatamente de auxílio. Com por meio da contratação de uma administradora predial para cuidar da documentação do seu prédio, caso tenha negócios dessa magnitude.

Esse é mais um momento de reflexão, de entender como suas dívidas surgiram em primeiro lugar. Após compreender o que causou tanto desgaste financeiro, é só optar por fazer o contrário. 

Óbvio que não é uma situação tão simples assim, mas repensar o seu nível de gastos é sempre uma boa saída.

Diminua o limite dos seus cartões de crédito

Não é preciso ser uma empresa de calibração para saber como equilibrar os seus instrumentos de trabalho. O cartão de crédito é um grande facilitador no dia a dia, seja ele de cunho pessoal ou corporativo, mas também pode ser uma pequena e prática armadilha. 

Daquelas que cabem no bolso e são capazes de machucar sempre que você colocar a mão na carteira.

Faça da economia sua amiga, pratique todos os dias

Após compreender bem como funcionam os seus gastos, é possível limitá-los, afastando de si a tentação de aumentá-los exponencialmente. Muitas vezes essa economia pode ser feita a partir de pequenas atitudes, como cozinhar em casa ao invés de sempre comer fora.

Quem sabe não exista um grande cozinheiro pronto para ser descoberto, assim, um restaurante pode inclusive ser o seu próximo investimento.

Voltando à realidade, de fato o gasto diário com pedidos de entrega pode pesar muito na sua conta no final do mês, se comparado ao valor de uma cesta de alimentos básica. Ou até mesmo aquelas mais reforçadas, com um vinho estrangeiro de brinde.

Não só reduza, organize melhor seus gastos

Nem todos os gastos podem ser simplesmente cortados, ainda mais se eles estiverem ligados às condições básicas de sobrevivência. No entanto, é possível procurar por fornecedores que apresentem o melhor serviço levando em conta o custo-benefício deles.

Alguns serviços podem ter drásticas reduções caso sejam usados somente quando necessários, entre eles podemos citar:

  • Luz;
  • Telefone;
  • Água;
  • Gás;
  • Entre outros.

Inclusive, esse é um tipo de economia que até o planeta agradece.

Procure o lugar certo de se investir

Deixar o dinheiro parado pode ser uma maneira de perder uma quantia que poderia render bastante se bem aplicada. A mesma coisa pode ser dita sobre gastos que visam uma economia maior em outros setores.

Como um autotransformador, equipamento elétrico que controla a quantidade de energia deslocada para outros aparelhos eletrônicos, impedindo que uma forte carga danifique o seu funcionamento.

Não existe vergonha em admitir que você não entende muito sobre investimentos, talvez tenha chegado nessa situação complicada justamente por não saber como agir diante uma possibilidade.

Para impedir que coisas assim ocorram novamente, não tenha medo de recorrer aos serviços de contabilidade oferecidos por profissionais ou agências renomadas.

Fundo de emergência: invista no seu cofrinho

Enquanto você se desespera para negociar suas dívidas, é fácil esquecer de juntar dinheiro para suas economias, muitas vezes parecendo até possível se fazer isso.

Mas é sempre importante apostar em um fundo de emergência, que pode ser utilizado em situações inesperadas como um problema no carro, um cano quebrado em casa, ou qualquer situação que se encontre fora do seu orçamento mensal.

Com uma verba própria para isso, você se afasta de possíveis dívidas que possam surgir no seu caminho.

Busque conhecimento

Para nunca mais entrar numa situação de endividado, ou até mesmo impedir que isso aconteça, é preciso se remediar através de uma organização financeira.

Ao estudar sobre conceitos básicos de finanças e economia, você terá um controle muito melhor do seu dinheiro, sabendo o  melhor momento e onde exatamente você deve investir. Seja em âmbito pessoal ou empresarial, caso você seja dono de um negócio próprio.

Muitas vezes sua empresa perde muito tempo lidando com documentos e papéis dos quais você não possui muito conhecimento sobre, como aqueles relacionados ao pagamento dos seus funcionários.

Por isso, optar pela terceirização de folha de pagamento, através da contratação de uma empresa especializada nisso, pode ser um dinheiro bem gasto, que ajudará no controle das suas finanças.

Considerações finais

Ao utilizar essas dicas é possível recuperar a sua situação financeira e entender conceitos que o impeçam de se tornar novamente uma pessoa inadimplente.

Por tais motivos, a educação financeira é um conceito que precisa cada vez mais ser incluído no seu cotidiano, diante da sua importância para um bom controle das finanças pessoais e jurídicas do seu negócio.

Ideias e Finanças

Ideias e Finanças

O Ideias e Finanças tem como propósito levar a informação a respeito de empreendedorismo e finanças para pessoas de todo o Brasil

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Os comentários estão fechados.

Outros artigos

Otimizado por Lucas Ferraz.