Como funciona o financiamento bancário?

Como funciona o financiamento bancário?

Quando uma pessoa decide comprar um imóvel junto à imobiliária, independente se é novo ou usado, ela pode financiar seu pagamento. O financiamento imobiliário é feito por instituições financeiras, que são responsáveis por pagar ao vendedor o valor integral e recebê-lo posteriormente de maneira parcelada por quem está solicitando o financiamento. Nesse tempo, o imóvel fica atrelado à pessoa que fez a compra, mas o mesmo não pode ser negociado com outras pessoas enquanto a dívida não for quitada. 

O financiamento se tornou muito popular, visto que não são todas as pessoas que possuem ou desejam desembolsar o valor integral para pagamento do imóvel. No entanto, ainda assim é comum surgirem dúvidas sobre esse processo. Então, para te ajudar, no post de hoje vamos falar como funciona o financiamento imobiliário.

Simulação do financiamento

A primeira etapa é realizar simulações online em diferentes sites de bancos para entender realmente como funciona o financiamento imobiliário. Isso porque, por meio delas você terá noção de valores, juros, parcelas e quanto tudo isso irá impactar em seu orçamento familiar. Realizar a simulação é fundamental para criar um planejamento e conseguir com maior facilidade e aprovação do crédito. 

Entrega dos documentos e análise de crédito

Depois de escolher o banco que mais se adequa às suas necessidades, é necessário apresentar os documentos necessários. São eles:

  • Originais e cópias do CPF e RG (do casal, se for o seu caso);
  • Comprovante de estado civil;
  • Comprovante de renda (holerites, extratos bancários e declaração completa de imposto de renda do casal, se for o caso).

Cada tipo de trabalhador, seja CLT, autônomo, rural, etc deverá apresentar um tipo de comprovante de renda. Sendo assim, procure saber diretamente com o banco o que será necessário para seu caso.

Após a entrega dos documentos, o banco realiza então a análise de crédito, conferindo seu histórico no mercado, se já teve nome sujo, dívidas, entre outros. Essa análise é feita para que o banco compreenda se você poderá arcar com suas responsabilidades no futuro, podendo aprovar ou não a liberação do crédito. O prazo de análise varia, mas a estimativa é que a aprovação ocorra dentro de 5 dias. Depois disso, a fase de liberação dura em torno de 40 dias. 

Escolha e avaliação do imóvel

Com o crédito pré-aprovado, você pode finalizar a negociação junto à imobiliária. O ideal é chegar nessa etapa já com algumas opções para escolher, pois imprevistos sempre podem acontecer. Além disso, as condições do banco podem ser diferentes do que você esperava. 

Então, definido o imóvel, sua documentação é enviada ao banco para que seja feita sua avaliação. A vistoria é agendada com um engenheiro ou arquiteto, garantindo a qualidade do bem e também que seu preço está dentro do valor de mercado praticado. Se tudo estiver certo, um laudo é elaborado liberando assim as próximas etapas. 

Em seguida, é feita uma análise jurídica e toda a documentação passa pela equipe especializada do banco. O objetivo aqui é garantir total segurança na transação e preservar todas as partes envolvidas. Inclusive, dependendo do caso, outros documentos podem ser solicitados. 

Elaboração e assinatura do contrato 

Com toda a documentação aprovada, o processo de financiamento imobiliário continua com a elaboração do contrato, sendo que alguns bancos convidam os compradores para uma entrevista. Após a elaboração, as partes envolvidas se encontram para assinar o contrato do financiamento, sendo necessário pagar uma taxa que varia de acordo com o banco. Depois de assinado, o contrato é encaminhado ao cartório, que também cobra uma taxa, para registrá-lo com as novas informações. 

Por fim, quando o contrato chega ao banco já atualizado, o crédito é liberado e o vendedor pago. Com isso, o comprador assume a responsabilidade de pagar as prestações mensais para quitar a divida com o banco. Geralmente, a primeira prestação vence 30 dias após a assinatura do documento. 

Tipos de financiamento

Agora que você entendeu como funciona o financiamento, é importante deixar claro que existem diferentes tipos: o financiamento pelo FGTS, pelo SBPE e por construtoras. A principal diferença entre eles é que no primeiro, os bancos não podem cobrar uma taxa de juros maior que 12% ao ano, sendo que há limite no valor do financiamento. Já no segundo, é possível financiar imóveis com valores mais altos, assim como são as taxas. Por fim, no financiamento com construtoras, há maior flexibilidade para negociar. Sendo assim, você deve escolher aquele que mais se adequa às suas necessidades, orçamento e preferências.

Então, agora que você sabe mais sobre o financiamento imobiliário, já pode começar seu planejamento para dar início ao processo. Lembre-se que ele será essencial para que você consiga arcar com as parcelas, além de facilitar sua aprovação no banco. 

O post de hoje te ajudou? Então não deixe de conferir outras matérias disponíveis em nosso Blog. 

Ideias e Finanças

Ideias e Finanças

O Ideias e Finanças tem como propósito levar a informação a respeito de empreendedorismo e finanças para pessoas de todo o Brasil

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Os comentários estão fechados.

Outros artigos

Otimizado por Lucas Ferraz.