Brasileiros usam mais a telemedicina na pandemia

Brasileiros usam mais a telemedicina na pandemia

O uso da telemedicina já mostrou sua importância diversas vezes ao longo do tempo. No entanto, seu valor aumentou ainda mais durante a pandemia.

Isso porque o acontecimento do Covid-19 acelerou e muito as transformações do nosso meio e os nossos hábitos como sociedade.

Uma empresa de comunicação, chamada Sinch fez uma pesquisa com mais de 2 mil pessoas entre 40 países.

Esse estudo mostrou que 38% da amostra global fez uso da medicina à distância durante a pandemia.

Os lugares que mais aderiram foram Índia, Estados Unidos, Brasil. Isso mostra então como ela foi importante. Abaixo, mostraremos mais sobre essa ferramenta.

Uso da telemedicina durante a pandemia

No Brasil, cerca da maior parte da população que ainda não fez uso da telemedicina foi por falta de oportunidade pois o plano de saúde não oferece essa opção.

A pandemia mostrou um lado da vida que muitas pessoas não estavam atentas, como por exemplo, repensarem seus hábitos a longo prazo.

As pesquisas feitas pela Sinch revelaram que cerca de 58% dos entrevistados vão evitar aglomerações, 52% vão evitar viagens sem necessidade e 49% farão compras online com mais frequência.

Além disso, a pesquisa também revela que o uso da tecnologia para cuidar da saúde, varia de país para país.

Por exemplo, aqui no Brasil é muito comum se utilizar de canais digitais para que se possa marcar consultas, confirmar agendamento e para que se possa fazer avaliações médicas. Até mesmo clínicas e hospitais utilizam estes canais para otimizar seu processo, como é o caso da telerradiologia.

Várias pessoas também foram alertadas por mensagens sobre casos de covid perto de onde moram.

 Muitas pessoas acreditam que a telemedicina é algo novo que se desenvolveu por conta da pandemia.

De fato, a ocorrência da Covid aumentou e deu mais foco em seu uso, no entanto, essa já é uma ferramenta antiga de trabalho.

Regras sobre o uso da telemedicina

A ferramenta não é nova, mas da maneira como está sendo usada é diferente. Isso porque qualquer atividade médica a distância é proibida.

Mas, havendo a necessidade, ela foi uma das alternativas encontradas para prestar serviços de saúde para a população.

Sendo assim, foi aprovado o uso da telemedicina para que se pudesse prestar os serviços de:

  • Assistência;
  • Pesquisa;
  • Prevenção de doenças;
  • Lesões;
  • Promoção de saúde;
  • Emissão de laudos a distância.

Antes, era liberado o uso da ferramenta apenas para assistência, educação e pesquisa.

Mas hoje em dia, ela já pode ser bastante útil para exercer teleconsulta, telediagnóstico e telecirurgia.

Num período em que as aglomerações precisam ser evitadas, ela é um caminho a se percorrer.

Uso da telemedicina no Brasil

O Capterra fez uma pesquisa que revelou que 55% dos pacientes brasileiros já tiveram fizeram algum uso da modalidade.

Esse número representa um total de 6 a cada 10 pessoas no país. O estudo buscou saber a relação entre adotar consultas a distância e a percepção dos pacientes sobre a eficácia do tratamento remoto.

Cerca de mil pessoas foram ouvidas no ano de 2020. O que se pode concluir daqui é que a telemedicina não só se tornou popular como passou a ser preferência.

Algo em torno de 46% das pessoas afirmaram querer continuar usando esse tipo de atendimento mesmo depois que a pandemia acabar.

A aderência a esse tipo de serviço também é graças ao medo da exposição e contaminação com o vírus. Sendo assim, esse acaba sendo um serviço mais seguro.

Outro fator também que fez as pessoas usarem mais este método, é quanto a sua rapidez e praticidade.

O futuro da telemedicina

Os avanços tecnológicos fizeram com que diversas empresas surgissem. Assim, essas novas empresas podem acabar ditando a direção que a telemedicina tomará no país.

Isso porque essas novas empresas estão fazendo muitos investimentos na área. Ou seja, a tendência é que esse tipo de serviço só cresça.

Um dos fatores que mais se destacam e que as pessoas mais gostam ao adotarem esse método, são:

  • Tratamento de qualquer lugar;
  • Menos risco de se contaminar;
  • Qualidade no tratamento;
  • Mais otimização do serviço.

Grande parte das pessoas que tiveram a oportunidade de ter um serviço à distância, são aquelas que possuem plano de saúde.

Cerca de 37% da população entrevistada no estudo da Capterra, é que não puderam acessar ainda a telemedicina por conta de não ter plano.

No entanto, isso tem mudado com a inserção do TeleSUS, que faz o atendimento à distância dentro da saúde pública.

Assim, pode-se atender através de chat e telefone os pacientes que estejam com sintomas de covid.

Ainda não se tem uma estrutura sólida que possa fazer com que os atendimentos a população do sistema público possam acontecer.

Isso porque esse setor depende dos investimentos públicos para se desenvolver e isso acaba fazendo com que tenha um impasse para o avanço da modalidade.

Porém, um fato é que a busca pelo termo telemedicina tem crescido bastante nos últimos 5 anos e a tendência é subir cada vez mais.

Isso porque a pandemia trouxe todo um novo modo de viver e utilizar as coisas. 

Vantagens no uso da telemedicina

Como muitos lugares tiveram que se adaptar ao serviço online, dentro da medicina isso não foi diferente.

No entanto, o que se pode perceber é que essa adoção de novas práticas trouxe para a vida não só dos profissionais como também dos pacientes, uma otimização.

Essa otimização deixa mais ágil as tarefas de rotina e também torna os processos mais cômodos. 

O paciente não precisa se deslocar e o médico não precisa ficar na correria de atender várias pessoas.

Isso porque o sistema já deixa tudo muito bem-organizado para que as coisas possam acontecer de modo mais rápido e eficiente.

Entregando assim, bons resultados para ambos os lados e uma aderência maior a esse tipo de serviço.

Conclusão

Por fim, vimos então um pouco do que a telemedicina proporcionou nesse tempo de pandemia, e como ela tem sido útil no dia a dia de todos.

Para aquelas pessoas que possuem maiores dificuldades de atendimento, seu serviço cai muito bem.

A tarefa agora é fazer com que esse tipo de método seja algo regular que as pessoas possam tirar proveito fora da pandemia também.

Deixe seu comentário a respeito do assunto e compartilhe este conteúdo.

Diego Augusto

Diego Augusto

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Os comentários estão fechados.

Outros artigos

Otimizado por Lucas Ferraz.