Comprar ou alugar uma empilhadeira? O que compensa mais?

Comprar ou alugar uma empilhadeira? O que compensa mais?

Para algumas pessoas é óbvio que comprar uma empilhadeira compensa mais. E para outras é óbvio que alugar uma empilhadeira compensa mais. Como isso é possível?

Na prática os dois podem estar certos, se compensa ou não depende de alguns fatores:

  • Custo do dinheiro
  • Severidade da operação
  • Foco da empresa

Custo do dinheiro e a locação de uma empilhadeira

Entenda quais sãos os custos de uma locação de empilhadeira.

O que é custo do dinheiro?

Para começar precisamos entender o conceito de custo do dinheiro, e custo de oportunidade do dinheiro antes de sabermos se é melhor alugar ou comprar o equipamento.

O custo do dinheiro é o quanto a empresa terá que pagar de juros para financiar a compra da empilhadeira. Então o primeiro fator a ser levado em conta, e que muda de empresa para empresa, é qual a taxa de juros para a compra de uma máquina?

Existem várias linhas de financiamento, além das tradicionais linhas de crédito dos bancos comerciais, temos também os bancos de fomento, tais como o PSI FINAME do BNDES, o cartão BNDES, e linhas de desenvolvimento regional, tais como do Banco do Nordeste e do DesenvolveSP.

Por muito tempo no Brasil a compra das empilhadeiras eram feitas com custo negativo do dinheiro. Isso mesmo, a taxa de juros cobrada pelo BNDES era de 1,5% ao ano, enquanto a taxa de inflação era de 10% ao ano.

Ou seja, por mais que a empresa tivesse o dinheiro em caixa era preferível deixar o dinheiro na poupança, que não rende nem a inflação, e comprar via BNDES. Dessa forma a empresa estava fazendo uma “arbitragem” de juros, entre o juros subsidiado do BNDES e o quanto o dinheiro dela rendia no banco.

Portanto a empresa deve fazer essa conta e incluir o juros, o custo do dinheiro, no cálculo da compra dos equipamentos antes de decidir comprar.

Tendo o custo total de aquisição, é possível comparar com o custo total da locação para 3 anos.

Lembrando sempre que a prática do mercado é essa, locação de empilhadeiras por pelo menos 3 anos, que é o tempo que o locador demora para pagar o equipamento.

Mas não só o dinheiro da compra versus locação deve ser levado em conta. Quando a máquina é alugada a responsabilidade em mantê-la rodando é do locador, um especialista no assunto que possui peças em estoque.

Então a empresa deve fazer um cálculo de risco, supondo que a máquina quebre e precise esperar 15 dias para a chegada de peças. Qual seria o custo de uma empilhadeira parada por 15 dias? Quantos atrasos na liberação das cargas teríamos?

São perguntas a serem feitas nesta avaliação. E a melhor maneira de analisar este risco é saber a intensidade de trabalho dos equipamentos de movimentação e armazenagem.

Severidade da operação logística

Talvez uns dos fatores principais nessa análise seja o conhecimento da operação que se tem em mãos.

Se a operação é leve, a empilhadeira descarrega um caminhão por dia, se existe a opção de descarregamento manual para o tipo de produto que a empresas trabalha, então a compra pode ser a melhor alternativa.

Mas se a operação logística é severa ou logística reversa, filas de caminhões todo dia na porta da empresa para carregar e descarregar, então a empresa não pode se dar o luxo de ficar com um, duas ou até três empilhadeiras paradas por falta de peças.

Quase sempre em operações severas a locação é a mais indicada, pois o locador garante um percentual de disponibilidade das máquinas bastante alto.

Inclusive alguns locadores oferecem, junto com as empilhadeiras, os operadores habilitados, um problema a menos para a empresa administrar e deixar o seu RH mais enxuto.

Foco da empresa

A última pergunta a ser feita é, queremos ser responsáveis pela gestão da frota de empilhadeiras?

É preciso que alguém verifique diariamente os níveis de água, óleo, calibragem dos pneus, se existem novos amassados de ontem pra hoje.

E a gestão do estoque de peças também precisa de um responsável. Agendamento das manutenções preventivas. Custo das peças paradas no estoque, espaço dentro da empresa para a área da manutenção das empilhadeiras.

Então quantas pessoas precisariam ser contratadas para gerir essa frota de empilhadeiras internamente? Isso também precisa ser levado em conta pelos gestores.

Na locação, o locador apresenta gráficos, gerador através de telemetria, de quantas horas a máquina trabalhou, qual operador bateu a máquina, qual dia, qual hora, severidade do acidente. Ou seja, todo um arsenal de gestão de frotas que talvez a empresa não queira investir.

Portanto para operações pequenas, com poucas empilhadeiras, pode ser que a compra seja o mais indicado, e operações severas, com muitas empilhadeiras, a locação pode ser mais indicada para que a empresa não perca o seu foco.

Clique aqui para mais dicas de empilhadeiras.

Ideias e Finanças

Ideias e Finanças

O Ideias e Finanças tem como propósito levar a informação a respeito de empreendedorismo e finanças para pessoas de todo o Brasil

Outros artigos

Otimizado por Lucas Ferraz.